SAÚDE

17 de janeiro de 2017

Expectativa de lojistas credenciados ao Bolsa Escola é de aumento nas vendas

“Desde que nos inscrevemos no programa, nossas vendas melhoraram muito. Já no mês de novembro fomos procurados para saber quando estaríamos trabalhando com o cartão Bolsa Escola”, disse Carlos Evangelista Neto, gerente de uma das lojas credenciadas ao Programa Bolsa Escola, parte da rede de 1.413 estabelecimentos habilitados à venda de material escolar para beneficiários este ano.

Com a liberação do benefício pelo Governo do Maranhão, na terça-feira (10), a expectativa dos lojistas é de melhoria nas vendas. Por meio da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social (Sedes), foram repassados R$ 59,2 milhões em recursos para viabilizar a cobertura dos 1 milhão e 110 mil atendidos pelo programa, em sua segunda etapa.

Segundo Carlos Neto, que gerencia o Shopping dos Importados, no bairro João Paulo, a venda de artigos escolares já aumentou. “Nós já tivemos uma boa saída de material escolar esta semana por conta do cartão Bolsa Escola. Isso é muito satisfatório, já que, no início do ano, existem muitos outros gastos, mas graças a essa parceria com o Governo do Estado, a venda desse tipo de produto é garantida”, afirmou o lojista.

De acordo com o comerciante, o credenciamento ao Bolsa Escola elevou os lucros ainda no ano passado, quando foi realizada a primeira etapa do programa. Sucesso que ele atribui à natureza inclusiva do serviço. “Nós observamos que, agora, temos novos clientes por causa do programa. Pessoas com poder aquisitivo mais baixo, que não tinham acesso aos nossos produtos”, falou Carlos Neto.

Para estimular novas adesões ao benefício e alavancar as vendas, Carlos faz questão de divulgar o programa no estabelecimento, por meio de cartazes e informativos, disponibilizados pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social (Sedes) à rede de credenciados.

O mesmo é feito por Adriana Sousa, gerente da Distribuidora Mendes, localizada no Centro de São Luís. Para ela, a promessa de melhoria nas vendas é ainda maior, pois é a primeira vez que a loja que administra adere ao Bolsa Escola. Em 2017, 843 lojistas aderiram ao serviço, representando um aumento de 69% de estabelecimentos credenciados, em relação a 2016.

“Estamos com uma expectativa muito boa para esse ano, e desde que a geste soube que liberaram crédito para mais de um milhão de cartões, estamos fazendo propaganda, tudo para chamar essas pessoas para vir para a nossa loja comprar”, declarou Adriana.

Segundo a lojista, a adesão ao Bolsa Escola foi motivada pela grande procura de beneficiários à sua loja, na primeira etapa do programa. “Ano passado, eu fiquei sabendo já depois do credenciamento, mas as informações que eu tive dos meus clientes foi uma demanda muito boa, e isso me interessou a credenciar a loja esse ano”, disse.

Bolsa Escola
O Programa Bolsa Escola transfere renda para alunos da rede pública, com idade de 4 a 17 anos, para compra de material escolar. Após reajuste de 12,5%, o valor do benefício subiu, este ano, para R$ 51,00 por criança. Não há limite para crianças beneficiárias em uma mesma família, desde que atendidas as exigências do programa.

Nenhum comentário: