SAÚDE

18 de novembro de 2015

A violência é consequência dos índices alarmantes de corrupção, diz Jeferson Portella

Na apresentação dos presos pela Operação El Berite, o secretário de segurança Jeferson Portella registrou que o crime sofisticado não deixa sangue no chão, mas os cadáveres se espalham. E condenou a corrupção que rouba a merenda de crianças que não têm o que comer.
Durante entrevista coletiva concedida na manhã de hoje e que contou com as presenças de autoridades da Secretaria de Segurança Pública e do Ministério Público sobre as prisões realizadas pela Operação El Berite, o secretário de Segurança Pública, Jeferson Portella afirmou que não basta prender corruptos, é preciso combater as estruturas da corrupção. Segundo Jeferson Portella, a sangria nos cofres públicos é responsável pelo aumento da violência e do crime no país.
O secretário identifica que a ânsia vampiresca por aumentar patrimônios surrupia o dinheiro da merenda escolar e da saúde e que esse tipo de crime se encontrava acobertado por uma espécie de manto da invisibilidade. “A violência é também consequência dos índices alarmantes de corrupção, do enriquecimento ilícito e nós não podemos ser seletivos na apuração de crimes e na aplicação da lei penal”, declarou.
O secretário entende que às vezes um patrimônio grandioso é apenas a prova do enriquecimento ilícito e para ele bandido é bandido, não importa os sobrenome ou o patrimônio que detém. “A maldita corrupção possibilita que 36 milhões de pessoas neste país só tenham acesso a uma refeição por dia”, lamentou. Portella foi severo ao criticar a crueldade e a má conduta dos que roubam o alimento das crianças e os remédios da população e reafirmou sua visão de que combater o crime sofisticado é uma forma de reduzir o crime tosco. “No crime sofisticado, o sangue não fica no chão, mas os cadáveres se espalham”, ensinou.

Nenhum comentário: