25 de agosto de 2014

Equipe de Dilma estuda mudar foco e atacar Marina como rival principal

O adversário mudou A equipe de Dilma Rousseff se reúne nesta semana para discutir como lidar com o crescimento de Marina Silva (PSB) na corrida presidencial. Petistas estudam abandonar o discurso de polarização com o PSDB, que pode beneficiar a candidatura de terceira via da ex-senadora. Pesquisas encomendadas pelo PT indicam que Marina ampliou sua vantagem sobre o tucano Aécio Neves nos últimos dias. Para a equipe de Dilma, a chance de um segundo turno contra Marina já beira os 90%.
Demolição Os petistas pretendem explorar contradições da ex-senadora para desconstruir sua imagem. Internamente, dizem que suas propostas de campanha são inconsistentes e lembram que ela passou cinco anos no governo do PT, como ministra do Meio Ambiente.
Armadura O comitê de Marina acredita que ela será alvo dos rivais já no debate da Band, amanhã. A presidenciável adotará um “tom propositivo”, mas será treinada para responder a ataques.
Batata quente “Dilma vai esperar Aécio atacar e ele vai esperar Dilma atacar. Mas uma hora vai acontecer”, resume um aliado de Marina.
Instrução A preparação da ex-senadora começa hoje. No fim de semana, sua equipe identificou temas que poderão ser usados pelos adversários, como contradições entre sua defesa da sustentabilidade e o agronegócio e a busca por apoio no Congresso em caso de vitória.
Novos tempos Na eleição de 2010, Marina foi poupada por Dilma e José Serra (PSDB) porque não representava risco real a suas candidaturas. A dupla tentou manter boas relações com a ex-senadora para conquistar seu apoio no segundo turno, mas ela optou pela neutralidade.
Rebanho Em um esforço para desarmar as críticas de produtores rurais a Marina, o vice Beto Albuquerque (PSB) conversou na última semana com o ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues.
Colheita Os dois combinaram que a presidenciável dará entrevista ao programa que Rodrigues apresenta no Canal Rural. Eduardo Campos esteve lá no fim de junho e os outros presidenciáveis também foram convidados.
Depósito A campanha de Dilma decidiu que não será responsável por contratar os cabos eleitorais da petista nos Estados. O dinheiro será transferido a comitês locais, que cuidarão do pagamento.
Vacina O objetivo é evitar vinculação com escândalos. Em 2010, foram contratados uma beneficiária do Bolsa Família e um executivo que depois trabalhou para o doleiro Alberto Youssef.
Vou de táxi O PT vai organizar um evento de Dilma com taxistas e motoboys em São Paulo para tentar atrair a chamada classe C no Estado. No último ano, a presidente sancionou leis que beneficiam as categorias.
Bengala Além de prometer reajuste aos aposentados, Aécio incluiu em seu programa de governo o apoio à formação de cuidadores para idosos. O desempenho do tucano nas pesquisas é melhor entre eleitores mais velhos.

Do PAINEL  do UOL

Nenhum comentário: