Moto Legal

27 de fevereiro de 2014

Agora lascou! Luis Fernando quando prefeito pagou combustível para veículos fantasma

Constatação foi feita em relatório da Controladoria Geral da União, realizado em 2008, quando o pré-candidato ao governo do Estado pelo PMDB exercia o segundo mandato de prefeitura de São José de Ribamar
“Não houve a devida identificação dos veículos atendidos, o que impossibilita a comprovação da utilização regular dos recursos destinados às ações de vigilância em saúde”, diz um trecho de relatório de fiscalização feito pela Controladoria Geral da União CGU sobre a aplicação de recursos destinados a custear ações na área de vigilância epidemiológica.
Do montante de R$ 785.633,50 (Setecentos e oitenta e cinco mil, seiscentos e trinta e três reais e cinquenta centavos), o relatório da CGU aponta que no tocante aos gastos com combustíveis mais de 50% das despesas relativas a este item são referentes ao abastecimento de veículos que não tiveram sua identificação detectada.
A fiscalização feita no segundo mandato de Luís Fernando Silva na prefeitura de São José de Ribamar no período de 12 de maio a 12 de agosto de 2008 e aponta ainda dezenas de irregularidades. Em relação aos veículos “ fantasmas” o gastos com combustíveis destinados a abastecer uma frota cuja identificação não foi informada a CGU atingiu o montante de R$ 59.453,68 (cinqüenta e nove mil,quatrocentos e cinqüenta e três reais e sessenta e oito centavos). Em apenas um destes veículos “fantasmas” que não puderam ser identificados pela CGU o valor de R$ 9.654,40( Nove mil quinhentos e cinquenta e quatro reais e quarenta centavos).
O outro lado
Nas explicações a respeito do assunto apresentadas à CGU quando questionada sobre este problema, a gestão do então prefeito Luis Fernando Silva apresentou a justificativa para a não localização dos cupons de abastecimentos de combustíveis, que permitiria identificar os veículos, ocorreu por conta de uma medida rotineira de arquivar separadamente os cupons de abastecimento ao final de cada exercício, por se tratar de instrumentos de controle interno.

Nenhum comentário: