16 de maio de 2012

Vereador Neto amorim afirma: "estou pensando em desistir da reeleição porque tenho problemas na Justiça".

Rapaz esta tal de justiça é danada mesmo, e não é que ela vai impedir o Presidente da Câmara o Vereador Neto Amorim (PMDB) de concorrer a reeleição deste ano municipais deste ano! Além do impedido Neto Amorim, há também o vereador licenciado Antonio Carlos e outros...


Por Jonatas Carlos


A declaração foi feita pelo próprio vereador (foto ao lado) em uma entrevista no programa Girando com A Notícia de hoje (16), telejornal de grande audiência na cidade. Entre diversas perguntas feitas pelo apresentador Ueverton Braçales, não ficou de fora a seguinte pergunta: Vereador Neto, você irá concorrer a reeleição? O vereador logo disparou: Braçales, eu na verdade já estou é pensando em desistir de concorrer, por que eu estou com um problema na justiça! (na verdade não é ele que quer desistir, é a Lei que não permite).
O problema ao qual se refere o parlamentar é de um processo onde o mesmo foi condenado pela Justiça Federal pelo crime de improbidade administrava e a sentença foi dada como, trânsito em julgado (quando não se pode mais recorrer), o crime foi praticado no período em que o mesmo foi Secretário de Finanças da Prefeitura Municipal (1993-1996), no mesmo processo foi condenado o então prefeito de São Mateus Getúlio de Amorim (pai do vereador) pelo mesmo crime.
Na oportunidade o vereador Neto Amorim pôs açúcar no convite do apresentador Braçales de mobilizar o povo a lotar a Câmara na próxima sexta-feira (18) afim de conferir a produtividade dos demais vereadores.


Entenda sobre o que se trata a improbidade administrava
Sem criar arrodeio, a improbidade administra é o mesmo que desonestidade, mau caráter e e a falta de probidade (honestidade).
A improbidade administrativa é um dos maiores males envolvendo a máquina administrativa de nosso país e um dos aspectos negativos da má administração que mais justificam a implementação de um maior controle social.
Entre os atos que a configuram estão aqueles que importem em enriquecimento ilícito, no recebimento de qualquer vantagem econômica, direta ou indireta, em super faturamento, em lesão aos cofres públicos, pela prática de qualquer ação ou omissão, dolosa ou culposa, que viole os deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade e lealdade às instituições.