28 de janeiro de 2012

Saudades de São Mateus.

Por Nelin Vieira


Ah! se essa vida não fosse
Um pedaço tão doce
Desse mundo bom.


Talvez...


Ninguém me visse a sorrir.
Não, por eu não estar sempre aqui,
E sim — se não houvesse o amanhã.


Um amanhã... sem qualquer subordinação
Às "aspas” terríveis do destino...

Porque sou homem — estando longe
Mas quando chego em São Mateus
Volto a ser um menino...


...aquele mesmo menino:


Que chamava a pessoa pelo nome
Tinha medo de lobisomem,
E fazia dente de ouro de papel de Sonrizal.


Que comprava tudo em mercearias
O “parque” — eram as canoinhas do Zacarias*,
E a partir dos 13, o “point” era o antigo Bar Central*.


Tinha namoradas em São Mateus e Piqui
As baladas sempre terminavam no Tamburi*
E minha praia — o Tapuio do Vai-Quem-Quer*.


Era amigo do estivador Tá Legal.
“A casa dos pais não tinha cerca no quintal”
E meu “Shopping” noturno — a famosa Rua Pindaré*...


*
*Canoinhas do Zacarias - eram balanços de madeira do parque de diversão, instalado na Praça da Matriz durante o festejo do padroeiro da cidade (setembro) e no pátio do Grupo Escolar Santa Clara, no período junino.

*Bar Central, conhecido também como Bar do Zé Gomes, era o local de encontro de 81,57% dos adolescentes da geração de 70 (a maioria formada por estudantes do Ginásio Bandeirantes).

Piqui, localidade centenária que deu origem ao município de São Mateus

*Tamburi, árvore localizada às margens da BR 135, que abrigava um comércio (aberto 24h), composto por bares (um cassino), borracharia, barbearia e quiosques (que não deixavam faltar panelada, sarapatel, carne de sol, ovo frito, buchada, papada de porco, gongo assado na brasa etc)

*Tapuio do Vai-Quem-Quer. Rio que banha a cidade e no inverno chega a 500 metros de largura, época em que chega a receber mais de cinco mil banhistas por dia.

*Tá Legal, estivador são-mateuense que em 1968 usava um boné com a frase “Estivador Número 1”, daí, entendermos que o slogan da Brahma foi criado em São Mateus.

*Rua Pindaré, era o local onde ficavam 84,32% dos bares e casas de cômodos da cidade...

 *Em tempo: esse índice (84,32%) não tem nada a ver com a inflação do governo do presidente Sarney, em fevereiro de 1990. É apenas coincidência de percentuais da pesquisa realizada pelo Instituto Mão-Na-Roda.

Imagens do arquivo pessoal de Nelin Vieira

Um comentário:

Nelin Vieira disse...

Caro repórter Jônatas:

Muito obrigado pelo espaço em seu Blog, onde a poesia "Saudades de São Mateus", de minha autoria, foi publicada, e confesso-lhe, que fiquei bastante emocionado quando revi as fotos do ano passado, no Tapuio do vai-quem-quer (Vicentinho Paula, Douglas da Maru e Nelin Vieira), porque acredito que num período - não muito distante - ainda vamos ver aquele "mundo d'agua", voltar a ser um dos locais de lazer do povo da nossa cidade, bem como a ponte (na saida para Bacabal), que também banhávamos nela.