Moto Legal

6 de dezembro de 2011

Deputado Stênio Rezende é acusado de receber 1,5 milhão em 'propina' de empresários

Deu no blog do Neto Ferreira
O deputado estadual Stênio Rezende (PMDB/foto), líder do Bloco Parlamentar, está sendo acusado de montar um grande esquema dentro do Poder Legislativo usando os nomes dos deputados da base governista.
Um dos empresários do ramo da construção civil, o dono da construtora Mota Machado e outros emprenteiros com fortes interesses no projeto de lei do deputado estadual Edivaldo Holanda (PTC), que autorizava a derrubada de babaçus em áreas urbanas, procuraram o parlamentar no começo deste ano para que apresentasse um projeto para dar flexibilidade e desenvolvimento no programa PAC (Projeto de Aceleração do Crescimento) em São Luís.
O peemedebista aceitou o acordo usando os nomes dos deputados da base governista para pedir “propina” aos empresários, em troca de votos dos aliados para aprovacação do projeto.
O grupo de emprenteiros conseguiram arrecadar R$ 1,5 milhão e, a pedido de Stênio Rezende entregaram a propina para seu assessor Marcos. O acordo seria R$ 50 mil para cada um dos 30 deputados.
A descoberta do esquema foi feita há alguns dias atrás pelo deputado estadual Rogério Cafeteira/foto, que em uma festa acompanhado de sua esposa encontrou com um dos emprenteiros que repassou o dinheiro para o parlamentar “espertalhão” e perguntou se ele teria recebido a sua parte.
Cafeteira, por sua vez, ficou espantado com a pergunta e  negou que tenha participado do esquema de corrupção.
Dias após a festa, Rogério Cafeteira em voo para São Paulo encontrou dentro do avião outro dono de construtora que participou também, da arrecardação e perguntou se realmente um grupo de emprenteiros teriam repassado mais de R$ 1 milhão de propina para Stênio Rezende.
O emprenteiro confirmou e disse que deu nas mãos do assessor de Stenio R$ 1,5 milhão em espécie.
O deputado estadual César Pires (DEM) ao ter conhecimento que seu nome também foi usado no esquema, subiu à tribuna na sessão desta terça-feira, 06, e denunciou o esquema.
E mais: o democrata só não disse que o mentor do esquema foi o Stênio Rezende, por que o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Arnaldo Melo (PMDB), pediu que aguardasse a apuração dos fatos.
A situação do peemedebista se complicada cada vez mais em seu grupo político, que não apoia a forma corrupta para aprovar qualquer projeto no Legislativo.

Nenhum comentário: