Moto Legal

22 de novembro de 2011

Sarney manobra na justiça eleitoral para evitar cassação de Roseana



O deputado federal Domingos Dutra (PT-MA) denunciou nesta segunda-feira (21), no Plenário da Câmara, manobras que a família Sarney estaria fazendo no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão, e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília, para evitar a cassação da governadora Roseana Sarney (PMDB).
Processo contra Roseana tramita na Justiça Eleitoral desde o ano passado, por abuso de poder político e econômico, expresso na celebração, no mês de junho de 2010, de mais de mil convênios eleitoreiros com liberação automática de dinheiro a prefeitos municipais, Associações de Moradores, Clubes de Mães, Associação de Beach Soccer, Entidade Espírita, totalizando mais de meio bilhão de reais.
Dutra lembrou no Plenário o “golpe jurídico” articulado pela família Sarney para cassar o ex-governador Jackson Lago. “Eles moveram céu e terra para cassar Dr. Jackson, acusado de ter participado de uma reunião no município de Pinheiro, em abril de 2006, e do aniversário da cidade de Códo, fatos acorridos antes do período proibido por lei. Em abril de 2009, em uma sessão esdrúxula, Jackson foi injustamente cassado pelo TSE pelo placar de 4 a 3, sendo interrompido o mandato do primeiro governador eleito pela oposição após a ditadura”, lembrou o petista.
O parlamentar maranhense disse que em face do derrame de recursos públicos e outros abusos cometidos pela governadora Roseana Sarney, durante a campanha eleitoral do ano passado, o ex-governador José Reinaldo Tavares ingressou no Tribunal Superior Eleitoral com um recurso contra expedição de diploma de nº 809, que tem como relator ministro Arnaldo Versiani.
O petista denunciou que somente nos dias 23 e 24 de junho de 2010 (data da convenção eleitoral de Roseana) foram assinados cerca de 600 convênios com fins eleitorais e eleitoreiros. “Os recursos foram sacados na boca da caixa e usados na campanha de Roseana Sarney para comprar votos, apoios de lideranças, e até de prefeitos da oposição”, frisou.
Domingos Dutra ressaltou que diante da gravidade dos fatos, constantes no recurso contra a expedição de diploma, o relator Arnaldo Versiani deferiu a produção de provas documentais e testemunhais das partes. “A governadora e o vice arrolaram várias testemunhas em vários cantos do Brasil, algumas delas com fórum privilegiado, visando procrastinar o julgamento do recurso”, contou.
O deputado disse também que, através de Carta Precatória, o TSE determinou que colhesse o depoimento das testemunhas do Maranhão no prazo de 60 dias. No TRE-MA, o processo ficou paralisado durante quatro meses – diferentemente de 2007, em que o TRE providenciou a intimação de Jackson Lago um dia após a posse do ex-governador.
Dutra relatou ainda que para ouvir as testemunhas da governadora e do vice, o ministro Versiani marcou audiência para o dia 28 de outubro passado para oitiva das testemunhas, expedindo Carta de Ordem para que as mesmas fossem ouvidas no prazo improrrogável de 60 dias. A Carta de Ordem chegou ao TRE-MA dia 1º de setembro de 2011, sendo distribuída para o juiz Sérgio Muniz, que é filho do Sr. Antônio Muniz, secretário-adjunto da Casa Civil de Roseana Sarney.
“A Carta de Ordem dormiu no gabinete do Dr. Sérgio Muniz durante 59 dias sem nenhum despacho e sem intimar nenhuma testemunha”, informou Dutra. Segundo ele, na véspera da audiência, dia 28 de outubro passado, “Sérgio Muniz ‘acordou’, devolvendo a Carta de Ordem ao TSE, sem cumprimento, alegando falta de documentação. Com esta manobra, a governadora atrasa pelo menos para mais seis meses o julgamento do processo”, criticou.
Domingos Dutra também denunciou na Câmara que “coincidência ou não”, Sérgio Muniz está na lista tríplice para ser reconduzido para o TRE do Maranhão, cuja decisão compete à presidenta Dilma Rousseff.
“Como no Maranhão acontece de tudo, talvez o Dr. Sérgio Muniz espere como recompensa desta gentileza uma mãozinha de José Sarney para ser reconduzido a mais alta corte eleitoral no Estado”, afirmou Dutra

Um comentário:

mosca na sopa disse...

Tem que se reconhecer que lutar contra a gangue Sarney é muito dificil não é a toa que o cúruné toda vez escapa , é só ele correr pra chorar na "barra da saia" da Roseana que ela bate a mão e os juizes e desembargadores se ajoelham e rezam conforme ela mandar . Então seria uma utopia achar que um tribunal aqui no Maranhão vai caça-la e se o processo for pra Brasilia ja sabe . O sarney manda mais que a Dilma .

visite.
saomateus-ma-moscanasopasm.blogspot.com/