Moto Legal

8 de setembro de 2011

Por mais que eu tente…

São Mateus a cada dia vem sendo prestigiada pelos seus filhos, desta vez surge mais um escritor que diferente de muitos, através das letras escritas em papel deixa explodir de seus sentimentos coisas boas de serem escritas, lidas e ouvidas, com vocês: Julio Ribeiro.

Retirada do blogue EMPODERAMENTO.


                        
Por *Julio Ribeiro



Eu já desenhei você bem perto do sol pra que meus dedos não congelassem.
Agora você volta com esse sorriso que pode me desmontar inteiro.
Se estamos em algum jogo, você tem todas as saídas certas.
E eu já não tenho forças pra lutar, você é tudo aquilo que a gente vê nos filmes e suspira.
Você é um verão doce, e eu quero passar o resto dos meus dias, estirado nele.
E eu não vou mudar nenhuma letra do meu discurso.
Por que por mais que eu tente… eu volto sempre pra você.
A vida passando e eu vou caminhando pra uma volta perigosa.
Pois quanto mais eu ando, mas eu me aproximo do precipício.
E os seus olhos de estrela brilham tanto, que eu sei que você viria junto.
Achando que nos dois iriamos voar pra sempre.
Mas bem dentro de nós, eu sei que você tem medo.
Mas você prefere o silêncio eterno, do que o meu silêncio.
E por mais que eu tente… negar… eu também prefiro.
E você pode soltar a mão de todos eles… e vir correr comigo…
Pois nenhum deles faz você sorrir como eu faço.
E eu sei que essas batidas violentas no seu coração, só começam quando sou eu na porta.
E é no seu abraço onde o medo vai todo embora, por que eu sinto você.
E esse seu perfume me prende, a esse esse mundo nosso, real.
Eu quero armar um barraca e morar aqui, o resto dos nossos domingos.
E eu fico pensando as vezes, se é pecado amar tanto assim…
Então você aparece, e eu não consigo mais raciocinar direito.
E você vai apagando as memórias de qualquer coisa que eu já senti.
Seu cabelo bonito, e sua pele de nuvem, vão se sobrepondo sobre tudo.
E qualquer caminho longe desse não faz sentido.
Fica tão forte que parece que vai me enfartar às vezes…
Mas por mais que eu tente… não amá-la. Eu acabo amando mais.
Nome: *Julio César S. Silva (preferivelmente Julio Ribeiro - nome do avô)
Idade: 17 anos (09/03/1994)
Filho de São Mateus, aluno do ultimo ano do ensino médio no Colégio Militar   Tiradentes, em Bacabal, pretende fazer engenharia mecânica em São Luis, escreve desde os 13.

Nenhum comentário: