Obras Mais Asfalto

28 de agosto de 2011

Hino Nacional ao ARROZ DE CUXÁ

"artigo publicado no jornal O estado do Maranhão, seção do dia 28/08 Caderno Alternativo, ontem, sábado".

Por José Ewerton Neto

Ouviram do Rio Anil as margens  não tão  plácidas, de um povo heróico (não há outra saída) um brado retumbante: “Quero o mesmo IPTU de volta, abaixo o aumento da CEMAR!”. E o sol da  liberdade (só se for do bairro da Liberdade) em raios fúlgidos brilhou no céu da ilha nesse instante.
Se o penhor dessa igualdade (todos são iguais diante do cuscuz Ideal) conseguimos conquistar com braço forte (de tanto carregar caranguejo), em teu seio ò liberdade, desafia o nosso peito a própria morte. (se o peito de frango morto fosse nosso, até seria bom!)

Ó ILHA AMADA,  IDOLATRADA
SALVE-NOS, SALVE-NOS!

São Luís, um sonho intenso, um raio vívido, vindo de uma barreira eletrônica a terra desce, se em teu formoso céu risonho  e límpido a imagem do Cruzeiro (Cruzeiro não, Sampaio Correia) resplandece.
Gigante pela própria natureza, (só pode ser um buraco de rua)  é belo, forte, impávido colosso e o teu futuro espelha essa grandeza.
Terra adorada, entre outras mil, és tu São Luís, ó ilha amada a primeira de quase mil vereadores. Para esses filhos, será sempre mãe gentil, ilha amada, São Luís.

Deitado eternamente em berço esplêndido (mas sem poder morrer por falta de cemitério), ao som do forró e à luz do céu profundo. Fulguras ó São Luís, florão da ilha, iluminada ao sol do Novo Shopping  da Cohama (mais um).
Do que a terra mais garrida os teus tristes campos de Perizes tem mais flores (todo dia morre alguém) Nossas praias tem mais vida (e preço de matar), nossa vida em teu seio mais amores (amores para todo mundo, mas grana só para os  que mamam).
                  
Ó ILHA AMADA,  IDOLATRADA
SALVE-NOS, SALVE-NOS!

São Luís de amor eterno seja símbolo, o lábaro de ATENAS BRASILEIRA que ostentas estrelado, e diga o verde-louro dessa flâmula: indiferença no presente, esquecimento no futuro, apenas a glória do passado.
Mas se ergues da justiça a clava forte, verá que um filho teu não foge à luta (greve de guardadores de carro, greve de táxi-pirata) Nem teme quem te adora a própria morte (os hospitais metem mais medo)
Dos filhos corruptos deste solo (que jamais irão para a cadeia) serás sempre mãe gentil, pátria amada Brasil.

Nenhum comentário: