Antes não tinha, agora tem!

14 de abril de 2011

Eu sou contra plebiscito sobre desarmamento.

Não me interpretem mal, mas perguntar se o povo é contra ou a favor do comércio de armar, é querer desrespeitar o próprio POVO sendo que em outro momento o próprio POVO já deu sua decisão a respeito.
Senão vejamos: Porque o Sarney não sugere um plebiscito para saber se nós brasileiros somos contra ou a favor de que a Lei da Ficha Limpa onde milhões de brasileiro incluindo eu pediram a aplicação já para as eleições de 2010? Porque o Sarney não sugere um pebliscito para sabe se nõs brasileiros somos contra ou a favor do aumento abusivo dos salários dos parlamentares que foi nada mais, nada menos que 61% de aumento e para os aposentados, pensionistas e cidadãos não corruptos apenas humilhados 5%? Porque o Sarney não sugeriu um pebliscito para saber se somos contra ou a favor de prefeitos que desviam dinheiro público para enriquecimento próprio comprando fazendas, carrões, escolas particulares, clínicas em nome de laranjas e malharias sejam presos e condenados a perder os madatos?... Isso o Fute não sugere! Penso que enquanto os governantes ficarem apenas brincando com o dinheiro público, nunca o problema da segunraça será resolvido, se é que ainda tem jeito de ser!

Abaixo veja o que o presidente nacional da OAB fala sobre o caso.


- O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, criticou a proposta do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) , de um plebiscito nacional sobre o comércio de armas de fogo. "O plebiscito pode ser uma cortina de fumaça para desviar o foco dos reais problemas de segurança que devem ser enfrentados pelo governo, além de ser um desrespeito à vontade popular legitimamente expressada no referendo de 2005." Na avaliação de Ophir Cavalcante, "vive-se no Brasil uma guerra civil urbana pela ausência de política clara, consistente e efetiva de combate à criminalidade e o tráfico de armas".


MP pede a cassação de Roseana e Washington

Do Blog Raimundo Garrone
http://t2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcT0B2xPV07EvkhIeLfU22D5rwfrCxhgNhK21VvVSF6wJFmqDr04&t=1
O Ministério Público Eleitoral pediu a cassação dos mandatos da governadora Roseana Sarney(PMDB) e de seu vice Washington Oliveira(PT), devido ao uso de convênios assistencialistas  vedados no período eleitoral.
Através de do programa Viva Casa, o governo Roseana assinou mais de 60 milhões de reais, somente em créditos suplementares, em convênios em 2010, o que no entender do MP caracteriza-se em conduta vedada por lei.
 
Parecer – Além de pedir a cassação de Roseana Sarney, o MP também deu parecer favorável em outro processo que tramita no TRE que também pede a cassação da governadora e seu vice, como também dos senadores Edison Lobão e João Alberto, por utilizarem a UEMA para fazer campanha política.
Esta ação nasceu a partir de uma representação do ex-deputado Aderson Lago, autor da denúncia que chegou a ser exibida no horário eleitoral durantes das eleições passadas.
Régis Richael Primo da Silva, se utiliza de depoimento do reitor da UEMA e de parecer técnico da Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte para definir a área utilizada para concentrar os participantes de uma carreata, como área da universidade estadual, o que colocou por terra argumentos utilizados pelo grupo Sarney durante as eleições de que o local não pertencia a UEMA.

Nenhum comentário: