Moto Legal

28 de abril de 2010

Prefeito Interino de São Mateus é impedido de entrar na Prefeitura

ENQUANTO ISSO...

DO LADO DE LÁ DA CIDADE!

Será se bateu o desesperou ou a dita LOUCURA nos pau-madandos do ex-prefeito de São Mateus?

Informações chegam a todo o momento a este blog de que um pequeno grupo de correligionários e ex-funcionários do CASSADO prefeito Rovélio, chegaram cedo a porta da Prefeitura na tentativa de impedir a entrada do atual prefeito empossado pela Justiça o Sr. Antonio Carlos. O portão principal da Prefeitura está fechado e até o momento não se sabe por onde anda a bendita chave e seu respectivo porteiro.

Segundo informações colhidas, o Prefeito Municipal Antonio Carlos, solicitará força policial para seu acesso ao Gabinete.

DO LADO DE CÁ DA CIDADE!

Já do outro lado da cidade, mais precisamente no Hospital e Pronto Socorro Municipal, o diretor da unidade Sr. Guilherme, está se recusando a liberar a ambulância para que seja levada uma senhora que a dois dias teve parto cesariana, até o povoado São Raimundo (5 km distante da sede do município). Tentei entrevistar o diretor da unidade, mas fui impedido pela portaria do Hospital.

Esta denúncia foi feita por um Conselheiro de Saúde, que levará em seu próprio carro a paciente até sua residência.


Atualizado às 18h56min

2 comentários:

Cássio Oliveira disse...

KD a liminar que ea chaga 4 horas da tarde? rsrsrrrrsrrsrsrssr agora os babão fica falando que é só pra sexta-feira rsrsrsrs!!!!

Anônimo disse...

Em 5 de outubro de 2008 foram eleitos os prefeitos das 5.563 cidades brasileiras. Desse total, no entanto, os eleitores de pelo menos 100 municípios de 24 estados já voltaram, ou voltarão às urnas até junho deste ano, para escolher o novo chefe do Executivo municipal, porque o candidato mais votado teve o registro cassado pela Justiça Eleitoral.

De acordo com a jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quando o registro do candidato ao Executivo é cassado, os votos dados a ele são anulados. Dessa forma, se o candidato conseguiu mais de 50% dos votos válidos já no primeiro turno, o segundo colocado não pode assumir a vaga. A eleição é anulada e é marcado um novo pleito pelo Tribunal Regional Eleitoral do respectivo Estado.

fonte:www.tse.gov.br