Moto Legal

30 de julho de 2009

Trabalhadores receiam despejo violento no Maranhão

Informações vindas da fazenda Pôr do Sol dão conta de que dois grupos de policiais militares se deslocam para efetuar o despejo dos trabalhadores Sem Terra que ocupam a área desde domingo (26/7). A propriedade, localizada em Bom Jardim, pertence ao juiz Marcelo Testa Baldochi, que desde o início do ano integra a “lista suja” dos empregadores que utilizam mão-de-obra escrava.
No momento, um grupo da polícia está no povoado de Nova Vida ( distenate cerca de 30 km da área) e outro grupo já está mais próximo, a 10 km, em uma fazenda da Viena Siderúrgica.
O MST exige a desapropriação da área e a condenação de Baldochi por manter trabalhadores em condições análogas à escravidão. O Movimento também se preucupa com a possibilidade de um despejo violento e se prepara para somente sair da área se existir uma liminar de reintegração de posse, caso contrário, os Sem Terra pemanecerão até que a exigência seja considerada.

Juiz escravocrata
A fazenda Pôr do Sol, localizada no município de Bom Jardim, recebeu a visita do grupo móvel do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) em setembro de 2007 e encontrou 25 pessoas - um deles adolescente, com apenas 15 anos, que nunca freqüentara a escola - em condições análogas à escravidão. À época do flagrante, o juiz atuava como titular da 2ª Vara Criminal de Imperatriz, também no Maranhão.
O flagrante de trabalho escravo na fazenda de Marcelo Baldochi gerou uma sindicância no Tribunal de Justiça (TJ-MA) e uma denúncia ajuizada em março deste ano pelo Ministério Público do Estado (MP), que acusa o juiz de submeter o ser humano a condições degradantes. Além de escravocata Baldochi, ainda é defensor de outros empregadores de mão-de-obra escrava o que acaba lhe parecendo isto ser uma virtude.
Os trabalhadores que ocupam a área são de Alto Alegre Pindaré, uma das mais pobres cidades do Estado e que possui um dos maiores índices de aliciamento de mão-de-obra escrava. A área ocupada pelo MST é grilada e possui mais de mil hectares.

Obs.: charge meramente ilustrativa, matéria publicada dia 27/07/2009 - http://www.mst.org.br/mst/pagina.php?cd=7119

Nenhum comentário: