Moto Legal

20 de novembro de 2008

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA FOI COMEMORADO PELA COMUNIDADE CATÓLICA DE SÃO MATEUS (BAIRRO AVENIDA PIQUÍ)

Foto: Jônatas Carlos (todas as fotos desta postagem)

Dia 20 de novembro véperas da Solenidade Católica que festeja N. Sra. do Desterro, foi comemorado com várias apresentações numa MISSA em homenagem ao "Dia da Consciência Negra". A Igreja do bairro ficou pequena pra quantidade de pessoas que se fez presente impulsionados pela tradição da comemoração do DIA naquela comunidade. Foram várias apresentação em homenagem a Zumbi dos Palmares um dos principais marcos da resistência negra em toda a história e a todos os negros da comunidade.

UM BREVE RELATO SOBRE A VINDA DOS NEGROS
A África perdeu um total de 50 milhões de pessoas com a escravidão. Dos que conseguiam chegar vivos nos portos da América, temos perto de 11 milhões de escravos. Muitos morriam nas guerras de captura; outros no transporte até os portos de embarque; outros no mar. O mínimo que se perdia era de 20 a 25% da "carga". Tem que se contar também o que entrou clandestino, sem pagar os elevados impostos que eram exigidos na época. No Brasil vieram 3.600.000 irmãos e irmãs africanos, na condição de escravos...
Também encontramos na história dos negros a luta e resistência. No Maranhão por exemplo encontramos 4 principais Quilombos:
1. Quilombo da Lagoa Amarela (Preto Cosme)
2. Quilombo do Turiaçu
3. Quilombo de Maracaçumé
4. Quilombo de São Benedito do Céu
Queremos ter presente o testemunho de Manoel Balaio, que morreu em 1839 e recordar da Balaiada, ocorrida no Maranhão em 1838. Movimento iniciado pela classe média, foi assumido pelos trabalhadores, entre os quais os fabricantes e vendedores de balaio, lavradores, camponeses e artesãos.
Também os negros dos Quilombos aderem ao movimento. O governo envia um exército de 2 mil homens para combatê-los. Depois de 3 anos a "ordem" é imposta num saldo de 5 mil mortos...
É nesta terra regada pelo sangue indígenas, de negros e negras, que queremos pisar para fazer acontecer a memória vida dos negros em nossa Estado e de modo especial em São Mateus do Maranhão.

"A gente olha no rosto destas pessoas e percebemos o quanto elas se sentem felizes ao festejar este dia". (palavra de uma jovem que estava participando das apresentações).
Ao final da celebração o Grupo de Capoeira Nação Palmares fez uma apresentação que foi assistida por centenas de pessoas.
Por Jônatas Carlos

2 comentários:

Jonatas Carlos disse...

Sempre fico feliz em participar de comemorações desse tipo. Começo logo a sonhar nos tempos em que nossa comunidade vive intesamente as CEB's.

John Cutrim JP disse...

Já linkei teu blogue lá no meu.

Um abraço!