Moto Legal

16 de outubro de 2008

A derrota do PMDB dos caciques!


Não deu outra. Sarney se assenhoreou do PMDB no Brasil e no Maranhão e a agremiação política se tornou um partido de caciques. Mas a história, inexorável, está minando as possibilidades eleitorais do PMDB no Maranhão.
O caciquismo é o pai desnaturado do coronelismo que na história política nacional nada mais foi do que a expressão de um fenômeno tipicamente ibérico: o do caudilhismo ou caciquismo. Toda vez que na Península Ibérica, por uma razão qualquer, o poder político central ficou abalado, enfraquecido, deu-se a ascensão do chefe provincial ou local que adquiria expressão militar ou jurídica própria.
O latifúndio, o engenho, a fazenda, a estância, dominados pelos coronéis premiavam os caciques políticos por eles indicados com votos de cabresto, currais eleitorais etc. Com isso, criava-se no eleitorado um universo de isolamento político e educacional. Politicamente, o povo era tratado como bois aos quais cabia puxar os arreios para os chefetes locais.
Sarney foi o cacique político com maior longevidade no Brasil mas acaba de sofrer, conforme noticia e comenta a imprensa nacional, a mais acachapante derrota eleitoral do país. Disputando hegemonia com o PDT do governador Jackson Lago, o PMDB de Sarney, que em 2004 saiu das urnas com 41 prefeituras contra 10 do PDT, só ganhou em 16 em 2008, ou seja, perdeu 29 das 45 prefeituras que tinha no Maranhão. O PDT chegou ao poder em 65 municípios.
Ocorre que o eleitorado maranhense saiu do isolamento político proposto por coronéis e pelo cacique mor da oligarquia maranhense. Sarney encarnou, historicamente, o símbolo do poder de mando e da impunidade, do domínio econômico e social sobre sucessivas gerações. De braços dados com a mais nefasta política clientelista, ditada pela concessão de favores e loteamento de cargos públicos, Sarney foi mestre da manipulação eleitoral em causa própria e de particulares, mentor de todo tráfico de influência praticado no Estado, conseguindo, durante tempo demais, neutralizar a oposição. Seu poder no Maranhão foi tão longe que seu grupo político conseguia propiciar o enriquecimento ou empobrecimento de uma região conforme sua necessidade de poder.
A derrocada do caciquismo no Maranhão se inicia com a ascensão de uma nova liderança, a do hoje governador Jackson Lago que, contra todos os poderes, inclusive o do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, derrota Roseana Sarney nas eleições de 2006 e instaura no Maranhão um novo modelo político, onde os caciques não têm vez e a produção e a educação passam a ser prioridades.
O pleito municipal de 2008 veio confirmar a débâcle do último filho do caciquismo político no Brasil. O PMDB de rebentou nas eleições municipais e o cacique, se juízo tiver, recolherá suas armas.


Nenhum comentário: